Por que o farol neblina é fundamental nas estradas?

Cada vez mais os carros apresentam soluções para garantir a segurança do motorista e dos passageiros. Porém, algumas vezes essas inovações podem nos confundir por apresentarem nomes similares e funções completamente diferentes. É o caso do farol, do farolete, do farol de milha e do farol neblina.

Você já confundiu o uso desses acessórios em algum momento? Não se preocupe, é comum que isso aconteça, principalmente nos casos do farol neblina e do farol de milha. No Brasil eles não têm uso obrigatório, mas são muito requisitados pelos motoristas, principalmente por aqueles que estão sempre na estrada.

Quer saber a real função do farol neblina, sua importância e principais diferenças em relação às demais luzes do veículo? Então, continue lendo este artigo!

Garantia de visibilidade

Criado para diminuir o reflexo das luzes provocado pela neblina, pela névoa ou pela água, o farol neblina fica localizado bem embaixo do farol normal. Ele não deve estar instalado a mais de 80 centímetros do solo.

Os faróis normais provocam brilho na neblina, atrapalhando a visibilidade de quem dirige. Com o farol neblina isso não ocorre, pois sua luz é direcionada para o solo. Assim, quem dirige um carro com esse acessório enxerga melhor as laterais da rodovia.

Outra diferença é que o feixe de iluminação é plano e largo. É como se ele formasse uma barra de luz na frente do carro. A desvantagem é que, caso fique aceso em condições normais de trânsito, sem neblina ou chuva, ele acaba prejudicando a visão de quem vem no sentido contrário ao veículo.

Segurança e redução de acidentes

Já deu para entender a importância do farol neblina? Ele garante a segurança do automóvel em condições precárias de visibilidade. Ele é criado para ser acionado em baixa velocidade. Assim, é capaz de aumentar a iluminação, tanto na superfície quanto nas margens da rodovia.

Além de manter as pessoas que estão dentro do seu carro a salvo de acidentes, os faróis neblina ainda melhoram a visibilidade dos motoristas que trafegam no sentido oposto da sua pista, reduzindo a probabilidade de acidentes.

Uso para outras adversidades

Como mencionamos, esse tipo de iluminação também pode ser utilizado durante trajetos com cerração, nevoeiro, tempestades e até excesso de poeira na via. Apesar de ser um fenômeno raro no Brasil, a neve também exige o uso desse tipo de iluminação.

Para que ele se torne realmente útil, o ideal é que você acenda as luzes de posição e o farol baixo em conjunto com o farol neblina. Outro ponto que deve ser observado é a velocidade, que deve ser reduzida na medida em que você aumenta a distância do veículo que está à sua frente.

O Código de Trânsito Brasileiro não exige o uso do farol neblina e nem multa o motorista que utiliza o acessório em condições erradas. Mesmo assim, evite acioná-lo no tempo seco, pois pode atrapalhar a visibilidade dos demais motoristas.

Vantagem para quem mora na serra

Muitas regiões brasileiras têm suas estradas construídas em áreas de serra, com muitas curvas e clima úmido. Isso favorece fortemente a formação de cerração, nevoeiro ou neblina, condições em que a visibilidade cai drasticamente e o número de acidentes acaba aumentando.

Com o uso correto do farol neblina, estima-se que o número de ocorrências pode ser reduzido em até 80%.

Diversos modelos

O mercado apresenta modelos diferenciados de faróis de neblina. É importante conhecer os principais e saber que esse tipo de iluminação deve ser amarela, pois a branca não tem eficiência durante a neblina. Confira os principais tipos disponíveis:

LED

Mais eficazes que as lâmpadas comuns, os faróis projetados com LED mantêm a luz baixa e não têm filamento que desgasta. Comparados a outros tipos de lâmpada, eles têm a vida útil prolongada.

Ocultos ou HID

O nome vem de High Intensity Discharge: uma alta descarga elétrica que aciona o gás xenônio para acender as luzes. Nesse caso, também não há filamentos, portanto, a duração é maior. A quantidade de luz do farol neblina de xenônio é 70% maior do que os demais — daí a sua grande vantagem.

Halogêneo

Atualmente, são menos utilizadas pelas fabricantes de veículos para a instalação dos faróis neblina, pois apresentam alto consumo de energia do carro e são menos eficientes que as luzes de LED ou de xenônio. Seus tipos variam de acordo com a quantidade de lúmens.

Diferença entre farol, farolete, farol milha e farol neblina

É muito comum, diante de tantas explicações, alguém confundir os sistemas de iluminação de um veículo, em especial quando ele traz o conjunto completo — composto por farol, farolete, farol milha e farol neblina.

Por isso, elaboramos um resumo para que você aprenda a diferença entre eles e comece a usá-los da maneira correta. Acompanhe a leitura!

Farol

Esse é o mais comum e está presente em todos os veículos. O farol alto serve para situações em que a luminosidade é muito baixa. Você deve utilizá-lo para iluminar obstáculos ou ajudar a dirigir quando o local está completamente escuro, sem a presença de outros veículos na pista.

Já o farol baixo é aquele que, atualmente, é obrigatório por lei nas rodovias, mesmo durante o dia. Ele auxilia no aumento da visibilidade do veículo em qualquer horário, ajudando o motorista a enxergar obstáculos e a sinalização da via.

Farolete

Esse também é conhecido como luz de posição. No farol da frente do seu carro, ele é a luz mais fraca e costuma ficar posicionado nas laterais do veículo. Sua função é justamente dar aos demais motoristas a dimensão do tamanho do seu automóvel. Isso evita acidentes nas situações em que há baixa visibilidade.

Farol milha

Essa luz adicional ilumina em longo alcance, em distâncias maiores. Ele fica posicionado, geralmente, entre os faróis dianteiros. Mas atenção! Como ele tem a intensidade semelhante a do farol alto, também atrapalha o motorista que dirige na pista contrária. Por isso, seu uso deve ser controlado.

Farol neblina

Ao contrário do farol milha, ele ilumina para baixo, foca a luz no solo para que o motorista consiga enxergar bem em condições adversas, como neblina, nevoeiro e chuva.

Com as nossas explicações, temos certeza que agora você entende tudo sobre os faróis do seu carro e nunca mais vai errar ao usar o farol neblina do seu veículo, certo?

Agora, conte para a gente se você já passou por alguma situação em que as luzes do automóvel atrapalharam a condução em alguma rodovia! Deixe um comentário no post e divida conosco a sua experiência!

Economize tempo e dinheiro alugando um carro em suas viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *