Carro quebrado na estrada

Carro quebrado na estrada: saiba o que fazer nessa situação!

Avalie

Passou por um buraco e furou o pneu? Sofreu algum acidente e está parado sem socorro? Seu veículo simplesmente parou de funcionar durante a viagem e você está no meio de uma rodovia? Cercado de mato por todos os lados, sem saber para quem pedir ajuda? O que fazer? Carro quebrado na estrada é um infortúnio comum, todavia nem todos estão preparados ou possuem experiência para lidar com o ocorrido.

Pensando nisso, no post de hoje mostraremos algumas dicas sobre as práticas indicadas em face desses incidentes desagradáveis. Confira!

Carro quebrado na estrada, como proceder?

1. Mantenha a calma

Talvez pareça irrelevante, mas é fato que muitas pessoas ao se depararem com um problema durante o percurso de viagem ficam aflitas, estressadas, e isso em nada contribui para resolver o caso. Manter a calma é de suma importância para tomar as providências corretas — pensar na segurança, contatar ajuda. O nervosismo faz com que coisas simples tomem grandes dimensões, então não foque no transtorno, nos gastos que você terá, o principal é encontrar a maneira mais ágil de sair dali.

2. Libere a via

As primeiras atitudes tomadas ao se ver envolvido ou presenciar a quebra de um veículo, e até mesmo algum acidente, são os procedimentos de segurança para evitar que outros fatos perigosos aconteçam.

Neste sentido, comece pela liberação da pista — antes mesmo de descer do veículo leve-o ao acostamento, mas caso não seja possível, tente deixá-lo o mais próximo à direita.

Vale ressaltar que deixar de liberar a via, tendo condições de fazê-lo, é considerado infração de trânsito gravíssima, sujeita a aplicação de multa e apreensão do automóvel.

3. Sinalize a pista

A sinalização da pista é uma ação fundamental para avisar aos demais condutores que por ali passarão, a existência de uma situação de perigo, e, portanto, a necessidade de redobrar a atenção.

Pegue o triângulo do seu carro e coloque-o a uma distância considerável do ponto de todo o ocorrido — ela deve ser equivalente à velocidade da pista, de maneira que, sendo o limite de 110 km/h, o motorista contará 110 passos largos.

Quando as condições climáticas não forem favoráveis, em caso de pouca luminosidade, neblina, chuva, nevoeiro, fumaça, ainda é recomendável o uso de folhagens para destacar o local demarcado. Neste contexto, a sinalização precisa ser fixada com a distância dobrada. Por exemplo, para um trecho de rodovia de 90 km/h, em vez de marcar 90 passos o certo é 180.

4. Ligue para o resgate

Concluídas as etapas iniciais, encontre um lugar seguro para pedir socorro e aguardar atendimento. Saiba que você jamais estará resguardado no interior do veículo. As orientações são de ficar, pelo menos, a 30 metros de distância e nunca à sua frente.

Aqueles que possuem seguro, primeiramente, deverão entrar em contato com a empresa contratada, para que ela passe as devidas instruções e providencie o resgate.

Já os que não têm seguradora, se estiverem em uma rodovia administrada por uma concessionária, precisam contatá-la no número de emergência que disponibilizam ao longo da estrada.

Ao acessar a rodovia, procure identificar qual é a concessionária de pedágio responsável por aquele trecho e anotar o telefone para contato. Algumas colocam ao seu dispor telefones 0800, que permitem obter ou compartilhar informações sem custo da ligação telefônica.

E, nas rodovias não privatizadas, ou se o caso for mais sério, entre em contato com a Polícia Rodoviária através do número 191, ou pelos telefones das unidades de cada Estado. Veja alguns números que podem te ajudar:

Polícia Rodoviária Federal:

  • Pernambuco — (81) 3201–0700;
  • São Paulo — (11) 2795–2300;
  • Minas Gerais — (31) 3064–5300;
  • Rio de Janeiro — (21) 3503–9000;
  • Espírito Santo — (27) 3212–6900;
  • Bahia — (71) 2101–2201;
  • Paraná — (41) 3535–1910;
  • Santa Catarina — (48) 3251–3200;
  • Rio Grande do Sul — (51) 3375–9700;

Os contatos e endereços de todos os Estados encontram-se disponíveis no site oficial do DPRF (Departamento de Polícia Rodoviária Federal).

Polícia Rodoviária Estadual:

  • São Paulo — (11) 3327–2727;
  • Minas Gerais — (31) 2123–1903;
  • Rio de Janeiro — (21) 3601–7010;
  • Espírito Santo — (27) 3222–8800;
  • Bahia — (71) 3117–8317;
  • Paraná — (41) 3273–6622;
  • Santa Catarina — (48) 3271–2300;
  • Rio Grande do Sul — (51) 3339–6799;
  • Pernambuco — (81) 3181–3620

É interessante que você aproveite enquanto está lendo este post para anotar o telefone da sede mais próxima a você ou daquelas que vão ser úteis nas próximas viagens. Lembrando que o telefone de contato para a Polícia Militar é o 190.

Ademais, a pessoa deverá procurar o auxílio do Corpo de Bombeiros, por meio do número 193 de qualquer aparelho celular ou orelhão, bem como do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência — SAMU, pelo telefone 192, se o atendimento a pessoas for necessário.

Quais informações são importantes na hora de pedir ajuda?

Procure reunir o maior número de detalhes a respeito da sua localização, isso facilita o trabalho do socorro. Portanto, tente descobrir em qual quilômetro da rodovia ocorreu o incidente, possíveis pontos de referência nos arredores, tais como restaurantes, postos de combustível, qualquer pormenor que ajude a encontrar o ponto exato mais rapidamente.

Igualmente relevante é o fornecimento dos dados do veículo envolvido — placas, estado de conservação, se ele interrompe o fluxo da via ou não, as condições do trânsito e da meteorologia.

E não se esqueça, é claro, de esclarecer a situação das vítimas: se existem, e qual a quantidade feridos, de que gravidade são as lesões, se há alguém inconsciente e há quanto tempo o fato ocorreu.

Quais atitudes não são indicadas nessas horas?

Tentar consertar o automóvel na via

Como mencionamos, somente em último caso, ou seja, apenas quando não houver condições de retirar o carro da pista é que o responsável não sofrerá as devidas penalidades.

Se já são restritas as hipóteses em que deixá-lo na via não configure infração, imagine querer consertá-lo ali mesmo. Seria uma ação de alto risco e por esse motivo, o Código de Trânsito Brasileiro — CTB, proíbe com veemência esse tipo de atitude. Vejamos o que diz seu artigo 179:

“Fazer ou deixar que se faça reparo em veículo na via pública, salvo nos casos de impedimento absoluto de sua remoção e em que o veículo esteja devidamente sinalizado:
I – em pista de rolamento de rodovias e vias de trânsito rápido:
Infração – grave;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção do veículo;
II – nas demais vias:
Infração – leve;
Penalidade – multa.”

Tentar rebocar o carro com cordas ou materiais semelhantes

A única hipótese em que será permitido fazer o reboque do automóvel utilizando cordas, cabos, dentre outros improvisos, consiste em quando o mesmo estiver atrapalhando o fluxo da via — removê-lo de um local perigoso a fim de evitar acidentes.

Entretanto, essa alternativa sofre limitações, tendo em vista que a ação de reboque não poderá ser efetuada por longos trajetos, e muito menos ser executada com o auxílio de motocicleta. O intuito é impedir que prejuízos maiores aconteçam.

Deixar de remover os objetos que ficarem na pista

Quando o veículo for rebocado, é importante ter o cuidado de retirar da via os materiais utilizados como sinalização: triângulo, folhagem, galhos. A falta de recolhimento desses objetos é considerada infração, sujeita a multa.

O que fazer quando o carro é alugado?

Ao assinar o contrato de aluguel de um automóvel com as locadoras, você será informado do procedimento que é seguido por ela na ocorrência de furtos, roubos, falhas mecânicas, incêndio e colisões. Logo, a atitude ideal é informar à locadora e agir de acordo com recomendações indicadas pelo telefone.

É claro que, se houver um acidente com feridos, você deve entrar em contato com o corpo de bombeiros primeiramente. Afinal, a vida é o bem mais valioso naquele momento.

Aluguel de Carros online

No caso de falha mecânica, algumas agências de aluguel disponibilizam gratuitamente outro automóvel, entendendo que houve uma pane por defeito eletromecânico decorrente de uso normal.

A maioria das locadoras usa de sensatez ao realizar a perícia do automóvel para avaliar o motivo da falha. Mesmo assim, antes de alugar um carro, vale a pena consultar as vantagens e desvantagens de cada empresa, e assim não ser surpreendido na hora do contratempo; além de optar pela que melhor atende às suas necessidades.

Uma dica bem legal é fazer a locação de carros com GPS, pois, muitos deles indicam postos policiais, estações de pedágio e restaurantes próximos. Desse modo, você poderá calcular quanto tempo o socorro levará para chegar.

Quais são os procedimentos de segurança quando o carro quebra dentro de um túnel?

Antes de tudo, observe as características do local em que você se encontra — não existindo muretas de proteção, mantenha-se dentro do veículo e permaneça usando o cinto de segurança, então ligue para sua seguradora, concessionária da rodovia, ou, se for o caso, para um guincho.

Não sendo possível a comunicação de dentro do automóvel, certifique-se do movimento da via pelos retrovisores e somente deixe-o quando sentir que sua vida não corre perigo.

Havendo passarela, siga por ela até sair do túnel. Se não, ande com uma lanterna ligada e contra o fluxo de carros, para que você possa ser visto; nessas horas o celular pode ajudar com a função da iluminação.

A situação envolve um perigo ainda maior que o de costume, pois, a visibilidade nesses lugares geralmente não é muito boa. Isto posto, tenha tranquilidade e procure sair dali o mais rápido possível.

Com a exceção de tais peculiaridades, as atitudes tomadas deverão ser as mesmas que já mencionamos acima.

Como qualquer outra máquina, os automóveis também podem apresentar defeito, mesmo com as manutenções preventivas em dia, é algo imprevisível e inevitável. Mas dominando os procedimentos básicos, você saberá lidar com a desagradável surpresa de um carro quebrado na estrada.

O que achou do nosso post? Ele foi útil para direcioná-lo sobre o que fazer quando tiver um carro quebrado na estrada? Então, aproveite para informar as pessoas que você gosta, compartilhando esse artigo nas suas redes sociais!


Posts Relacionados

Economize tempo e dinheiro alugando um carro em suas viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *