perder o medo de pegar a estrada

Dirigir sem temer: como perder o medo de pegar a estrada?

Dirigir sem temer: como perder o medo de pegar a estrada?
5 (100%) 1 vote

O medo de dirigir, apesar de bastante incômodo para quem sofre com ele, não é raro. E uma das formas mais comuns de ele se apresentar é o receio de encarar uma viagem de carro. Mas, se esse é o seu caso, não se preocupe! Neste post, veremos justamente como perder o medo de pegar a estrada.

De fato, quem sofre com esse mal passa por diversas privações, dentre elas, a de não poder aproveitar seu carro para viajar. E isso é compreensível: as velocidades altas nas estradas e o movimento de caminhões e ônibus são dois fatores que podem ser intimidadores aos motoristas menos experientes ou traumatizados.

Contudo, ainda há maneiras de diminuir a ansiedade e tornar suas viagens tranquilas o suficiente para que você sinta segurança ao dirigir.

Então, siga a sua leitura e confira estas dicas valiosas para você perder o medo e aproveitar suas viagens de carro da melhor maneira possível!

Você tem medo de quê?

Antes de falarmos sobre o medo de dirigir em estradas, é importante distinguirmos esse sentimento classificando-o de forma correta. Afinal, para podermos encontrar a solução certa, devemos primeiro conhecer o problema a fundo.

Vários são os conceitos que podem ser confundidos com o medo, o que acaba atrapalhando o dia a dia de quem sofre com eles. Por isso, vamos explicar um pouco sobre alguns dos mais comuns. Confira:

Medo

O medo é uma reação natural que serve para aguçar nossos sentidos ao encararmos situações em que algum perigo é identificado.

Em outras palavras, é um mecanismo de defesa voltado para a autopreservação do corpo, que melhora nossa capacidade visual, nossa audição e nossos níveis de adrenalina, visando essa reação ao perigo.

Sentir medo, portanto, não é algo ruim. Ele nos deixa mais alertas para encarar situações de risco. O problema é que, em alguns casos, a razão não consegue se sobrepôr ao sentimento de insegurança, seja por desconhecimento dos reais perigos ou pela falta de perícia.

Fobia

fobia causa reações parecidas com as do medo no corpo humano. Porém, ela se distingue dele por não ter uma base que pode ser racionalizada, ou não estar ligada a reais ou prováveis situações de perigo.

As fobias podem ser direcionadas a objetos inanimados ou imaginários, situações banais ou cotidianas — enfim, a qualquer estímulo considerado pela maioria das pessoas como inofensivo.

Ela aciona os mecanismos do medo, mas vai além, criando uma ansiedade excessiva frente ao tamanho do perigo, que termina por interferir na vida pessoal e social da pessoa.

Quem sofre com uma fobia costuma ter dificuldades em controlá-la, e provavelmente precisará de ajuda profissional para conseguir lidar com ela.

Trauma psicológico

O trauma psicológico é um dano emocional que tem sua raiz em uma situação de angústia, perda, dor (física ou emocional) ou de risco de vida.

Essa experiência acaba sendo tão impactante para a pessoa que modifica suas reações naturais aos estímulos e, em alguns casos, até o seu modo de ver o mundo.

Assim, uma fobia — ou outra doença — pode estar associada a uma situação nociva anterior, que tenha gerado um trauma psicológico. Esse diagnóstico, no entanto, deve ser feito com um especialista, que poderá também indicar o melhor tratamento.

Ansiedade

ansiedade também é, como o medo, uma reação natural do corpo humano a uma situação (positiva ou negativa) que está por vir. A incerteza sobre as consequências dessa situação dispara um alerta, fazendo com que o corpo fique pronto para fugir, lutar ou, em alguns casos, paralisar.

O problema ocorre quando essa ansiedade é excessiva, desproporcional aos perigos ou riscos, ou ligada a situações banais.

Ela pode estar associada a fobias, a traumas ou a outro distúrbio que atrapalha a vida da pessoa, que a sente de forma intensa, levando a reações como sudorese, taquicardia, tremores, náuseas, entre outros sintomas.

Transtorno do pânico

Também conhecido como Síndrome do pânico, esse é um transtorno que, sem causa aparente, desencadeia uma crise de ansiedade e medo, incluindo sensação de morte iminente. Por ser recorrente, é um distúrbio que precisa ser tratado com especialistas.

Bom, isto posto, neste artigo vamos nos concentrar em dicas para quem tem medo de dirigir na estradaou fobia de alguma situação relacionada.

Se os seus problemas relacionados à ansiedade forem recorrentes, é importante procurar um médico ou psicólogo para o tratamento.

Então, quais são as fobias mais comuns em quem apresenta medo de pegar a estrada? O que faz com que uma pessoa evite viajar com seu carro? É exatamente sobre isso que falaremos a partir de agora.

Quais são as fobias mais comuns?

As estradas podem ser bastante intimidadoras, especialmente para aqueles motoristas que não têm muita experiência ou que sentem insegurança de qualquer tipo ao dirigir. Mas viajar de carro não é tão mais complicado do que conduzi-lo nas cidades.

De fato, é diferente — o trânsito caótico dos grandes centros raramente é visto nas estradas. E não há muitas conversões e vias de acesso, portanto, há menos veículos entrando e saindo da pista.

Aluguel de Carros online

Ao mesmo tempo, as velocidades são mais altas, e as condições do tempo, como chuva, neblina e ventos fortes, mudam com mais frequência, podendo interferir na direção. Assim, pegar a estrada não exige necessariamente um maior número de cuidados, apenas cuidados diferentes.

E quais seriam as fobias mais comuns de quem tem medo de viajar de carro? Abaixo, relacionamos algumas das situações mais temidas, bem como os cuidados recomendados para cada uma, para que você possa ter tranquilidade e deixar o medo de lado. Veja:

Caminhões e ônibus

Uma das imagens que mais assustam a quem tem medo de dirigir é a de dividir a pista com um caminhão ou ônibus. Afinal, por serem veículos longos, grandes e pesados, eles intimidam só pela sua presença.

Nas estradas esse medo é ainda maior, pois as velocidades mais altas trazem o receio de que os freios não funcionem corretamente, ou que alguma imprudência do condutor cause um acidente grave. Por isso, a dica é manter sempre uma distância maior desses veículos pesados, até para não prejudicar a visão do que está à frente.

Na ultrapassagem, entre na faixa à esquerda com antecedência, para que o motorista do outro veículo possa ver o seu carro, mantendo uma velocidade constante de ultrapassagem.

Caso você fique ao lado de um veículo pesado, preste atenção ao retrovisor dele. Se você consegue enxergar o motorista, ele também consegue ver você. Caso não consiga, termine a ultrapassagem ou diminua a velocidade para sair de um eventual ponto cego.

Andar em velocidade alta

As velocidades altas das estradas, por si só, também preocupam quem não está acostumado. Afinal, qualquer pequeno movimento no volante faz uma grande diferença, e os ventos assustam ao interferir no rendimento ou na direção do veículo.

Mas não há motivos para ter medo. Os carros são preparados aerodinamicamente para andar rápido e, contanto que a velocidade máxima permitida na via não seja excedida, as pistas são seguras, pois são feitas considerando questões como visibilidade, tráfego, clima e condições do pavimento para a definição dos limites e colocação da sinalização.

De qualquer forma, o melhor é trafegar com uma velocidade em que você se sinta confortável, preferindo sempre as faixas à direita.

Além disso, mantenha sempre uma distância de segurança dos veículos da frente. Basta esperá-lo passar por algum ponto na estrada (placa, poste, árvore) e contar o tempo até que o seu carro atinja o mesmo ponto. A distância mínima deve ser de três segundos.

Fazer ultrapassagens

Outra situação que tira o sono de muita gente é quando há a necessidade de fazer uma ultrapassagem. No entanto, se controlado, o medo nessa hora é importante para que se tenha bastante atenção e cuidado. Afinal, a manobra envolve riscos, e conhecê-los é a melhor forma de evitá-los.

Para que a ultrapassagem seja feita com segurança, é preciso tranquilidade para tomar todas as precauções. Primeiramente, só ultrapasse pela faixa da esquerda e, se for uma via de pista simples, somente em locais permitidos, em que a faixa de divisão é segmentada.

ultrapassando local proibido

Depois, basta sinalizar sua intenção com as setas, tanto para mudar de faixa como para retornar à de origem. Além disso, é preciso verificar se a faixa para a qual você irá está livre, e se nenhum veículo atrás já iniciou uma ultrapassagem antes.

Condições adversas

Também é comum ter medo de encarar condições adversas como chuva forte, geada, neblina e ventania nas estradas. E há razão para isso, já que elas tornam a direção mais perigosa, diminuindo a visibilidade aumentando o tempo de parada de um veículo.

No entanto, novamente, é o caso apenas de tomar os cuidados certos.

O primeiro deles, para qualquer uma das situações elencadas, é a diminuição da velocidade. Especialistas recomendam algo em torno de 20% abaixo do limite de velocidade da via. Ou seja, se a velocidade máxima permitida é de 100 km/h, dirija a 80 km/h.

Depois, o aumento da distância de segurança. Se o recomendado para condições normais é três segundos, aumente para cinco essa distância do carro da frente.

Outros cuidados ainda incluem não frear bruscamente, manter o carro sempre engatado, seguir as faixas da pista e ligar o pisca alerta caso haja um engarrafamento ou formação de comboio.

Carros com excesso de velocidade

Quem já viajou de carro, seja dirigindo ou como passageiro, certamente presenciou veículos extrapolando, e muito, a velocidade máxima permitida. Uma atitude péssima e criminosa  além de ser um perigo para os ocupantes do próprio veículo que está correndo, põe todos os outros usuários da via em risco.

Assim, ao se deparar com um caso desses, a dica é se antecipar. Abra espaço pela esquerda para que o motorista apressado ultrapasse você. Mas faça isso com calma, sempre sinalizando sua intenção antes e atentando-se para os outros veículos na via e para as atitudes do condutor irresponsável.

Se ele vier pelas faixas à direita na pista, apenas mantenha sua velocidade constante e a atenção na sua faixa. Dessa forma, você se torna mais previsível para os outros motoristas.

Ter problemas no carro

Outro medo bastante comum é o de ficar com o carro quebrado na estrada, sem ter ajuda. Nesses casos, a sensação de desamparo é grande, pois você não sabe como resolver o problema. Ainda assim, se isso realmente acontecer, não é o fim do mundo.

As rodovias possuem sempre empresas ou autoridades que podem te auxiliar. Então, saiba qual instituição ou companhia é a responsável pelo trecho em que você está, e anote o número de emergência disponibilizado.

É bom, também, atentar-se para a localização dos aparelhos de telefone de emergência que ficam à margem da pista para o caso de o seu celular não ter sinal. E, é claro, contar com um seguro automotivo que ofereça assistência 24 horas, com opção de guincho.

Causar acidentes

Caso o seu medo seja o de cometer um erro e causar um acidente, saiba que isso pode acontecer com qualquer um, e é uma situação normal. No entanto, seguindo a legislação de trânsito e observando a sinalização da viao risco é mínimo.

Por outro lado, há também meios de se proteger de eventuais prejuízos e ter às mãos o suporte para lidar com um possível acidente. Os seguros automotivos oferecem proteções a terceiros, cobrindo os prejuízos causados em outros veículos, a bens públicos (postes, muretas de proteção) ou privados (muros de casas, cercas).

Inclusive, se for uma viagem internacional, contratar uma proteção a terceiros é obrigatória. Para os países do Mercosul (Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela), essa proteção se chama carta verde e é contratada junto a uma seguradora.

Enfim, essas são algumas das situações que mais impõem medo a quem vai pegar a estrada com seu carro.

Como deu pra perceber, tendo alguns cuidados específicos e atenção — necessária para dirigir em qualquer condição, na verdade — são suficientes para torná-las seguras e manter a tranquilidade da viagem.

Agora, se mesmo assim você ainda tem receio e sente insegurança para encarar as estradas, pode começar evitando certas condições que se tornam preocupações adicionais aos motoristas. Confira, abaixo, quais são elas!

O que não fazer na sua primeira viagem na estrada?

Quando começamos uma atividade nova, que exija certos cuidados e habilidades específicas, é sempre recomendável fazê-la da maneira mais simples possível, aumentando a dificuldade aos poucos.

Dessa forma, é possível pegar segurança e a perícia necessária com o tempo, para enfrentar problemas que as situações mais complicadas podem trazer. E com as viagens de carro também é assim.

Como vimos acima, dirigir nas estradas é diferente de guiar pelas ruas de uma cidade, e requer atenção a detalhes distintos. Então, para diminuir a complexidade e o estranhamento com essa experiência nova, tente evitar as seguintes situações:

Chuva

Com a chuva, a visibilidade fica reduzida e há o risco de aquaplanagem — quando a água na pista interfere no atrito dos pneus com o solo, causando perda de controle do veículo. De fato, a aquaplanagem é perigosa, e para evitá-la é preciso diminuir a velocidade e os pneus não podem estar carecas.

carro em cima de poça

Além disso, com a chuva, os motoristas tendem a ficar mais inseguros e suas ações ficam mais difíceis de prever. Portanto, se em sua primeira viagem na estrada começar a chover muito, pare o carro em um local seguro, como um posto de combustível ou restaurante, e aguarde o tempo melhorar.

Neblina

A neblina é outra condição que também dificulta muito a visibilidade. Geralmente, ela ocorre em trechos de serra, em que a via é sinuosa, com muitas curvas.

Há, até, casos em que a neblina é tão forte que as autoridades organizam comboios para atravessá-la, com uma quantidade limitada de veículos. Dessa forma, há uma grande espera para prosseguir, e os cuidados precisam ser redobrados.

Assim, acompanhe as condições das estradas se for descer ou subir uma serra — ou trafegar próximo a lagos e grandes rios — e evite viajar no começo das manhãs e de madrugada, horários com maior incidência do fenômeno.

Noite

À noite, além da escuridão, que dificulta ver o que há fora dos fachos de luz do seu carro, há a falta de educação de alguns motoristas que utilizam o farol alto indiscriminadamente. Isso, além de ser uma transgressão das leis de trânsito, é perigoso, pois pode ofuscar a vista de quem vem no sentido contrário.

Outra dificuldade é que dirigir à noite pode aumentar sua sonolência. Sem contar a dos outros motoristas, que também podem cair no sono e perder a atenção na direção. Por isso, se for dirigir nesse horário, redobre sua atenção.

Horários de pico

Nos horários de maior movimento nas estradas, principalmente em trechos próximos ao perímetro urbano, o excesso de veículos aumenta, obviamente, a probabilidade de alguém cometer um erro ou de um carro quebrar. E isso só complicará as coisas para quem está começando, tornando o tráfego mais difícil.

Além disso, nesses horários as pessoas costumam demorar mais para chegar a seus destinos, o que deixa muita gente inquieta, irritada e apressada — receita quase certa para um acidente de trânsito. Portanto, o melhor é evitar os horários de pico.

Trechos com pouco movimento

Em trechos com pouco movimento, é mais difícil conseguir ajuda caso seu veículo tenha problemas.

A infraestrutura de emergência e de serviços (restaurantes, postos, lojas de conveniência) é escassa e, geralmente, o telefone celular não tem sinal.

Assim, se você ainda não tem a experiência necessária para saber se o seu carro está em perfeitas condições, nem a segurança de que conseguirá evitar buracos e obstáculos na via que podem fazê-lo parar, é mais prudente evitar esses trechos.

Enfim, preservando-se dessas situações nas primeiras viagens de carro, você certamente aumentará sua autoconfiança aos poucos, até perder o medo de pegar uma estrada em qualquer circunstância.

Contudo, uma outra maneira de aumentar sua segurança na direção é tomar alguns cuidados antes de viajar.

O que fazer antes de viajar de carro?

Para ter tranquilidade na estrada e diminuir o risco de se envolver em acidentes e quebras mecânicas, o melhor é se atentar para algumas precauções com o carro e com a viagem.

Preparar-se para algumas inconveniências, como a falta de combustível, o cansaço ou a fome das crianças, evita preocupações e aborrecimentos que podem tornar a direção mais instável. Por isso, separamos abaixo algumas dicas do que fazer antes de viajar com seu carro. Confira:

1. Faça uma revisão no carro

Para diminuir o risco de acidentes e evitar problemas no meio da estrada, é preciso que o carro esteja em perfeitas condições de uso e que seus itens de segurança estejam completos e funcionando. Portanto, leve o carro periodicamente (a cada 10 mil quilômetros) para uma revisão completa da mecânica e elétrica.

revisão carro alugado

Além disso, confira o óleo do motor, a água do reservatório, os pneus, o estepe, as luzes, os limpadores do para-brisa e o kit de emergência (macaco, chave de roda e triângulo) antes de cada viagem.

Se for um carro alugado, esteja presente durante a vistoria de entrega e faça um test drive antes de pegar a estrada. Assim, havendo qualquer problema no veículo, entre em contato com a locadora para trocá-lo.

2. Saiba dirigir defensivamente

direção defensiva é a melhor forma de antecipar os movimentos dos outros motoristas, tornar-se previsível e proteger-se de erros seus e dos outros.

É importante aprender suas regras e ter suas técnicas claras para agir e reagir da forma mais segura possível no trânsito. Nesse sentido, um bom curso de direção defensiva pode ser a opção mais rápida e completa para condutores menos experientes se capacitarem a dirigir em quaisquer situações.

3. Planeje sua rota

Em uma viagem de carro, problemas sempre podem aparecer. O tanque de gasolina pode ficar na reserva, alguém (principalmente as crianças) pode ficar com fome ou com vontade de ir ao banheiro, o cansaço ou o sono podem aparecer, o motor pode esquentar…

Enfim, uma série de imprevistos são possíveis. Por isso, é recomendável que a rota seja bem planejada, considerando informações sobre as estradas, seus pontos de parada, tempo de percurso, horários de maior movimento e condições da pista e climáticas.

Com esses dados, você poderá se prevenir daqueles imprevistos e terá a segurança de onde buscar ajuda, se precisar. Além disso, esse planejamento da viagem também serve para evitar aquelas situações complicadas das quais tratamos antes, como chuva, neblina ou tráfego intenso, entre outros.

Perder o medo de pegar a estrada

Bom, como vimos, viajar de carro pode ser bastante tranquilo, bastando que o motorista tome certos cuidados e tenha atenção ao volante.

Seguindo nossas dicas sobre como perder o medo de pegar a estrada, você conquistará a autoconfiança necessária para dirigir com segurança e aproveitar ao máximo a sua viagem!

Então, gostou do nosso artigo? Deixe seu comentário ou dúvida, teremos prazer em ajudar!

Ebook Roteiros de viagem de carro


 

Posts Relacionados

Economize tempo e dinheiro alugando um carro em suas viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *