Dicas para gastar pouco com refeições na estrada

Avalie

Dicas para gastar pouco com refeições na estrada

Na hora de pegar a estrada com o carro, devemos prestar atenção em alguns detalhes importantes no que diz respeito ao planejamento da viagem. Entre os principais fatores estão: a revisão do veículo, análise da rota e dos mapas, conferência dos documentos e segurança das crianças. Além disso, devemos levar em conta quais serão as formas de alimentação durante o trajeto, pesquisar meios de gastar pouco e assim aumentar o orçamento para sua parada final.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para quem pretende poupar o dinheiro com comida durante o percurso. Confira!

Em viagens curtas

A distância que será percorrida da cidade de origem até o local de destino não é muito grande e você calcula que não vá passar mais do que 4 ou 5 horas na estrada? Ótimo. A solução para o seu caso é simples e saudável. Leve a comida de casa!

Em tais casos, como o tempo de trajeto não é muito longo, as chances de algum alimento estragar são mínimas e pode ficar ainda mais seguro se a comida é armazenada em recipientes apropriados — reservá-los separadamente em potes plásticos e guardar dentro de uma bolsa térmica.

Entretanto, não esqueça que o indicado é parar em um lugar adequado para fazer o seu lanche, como postos e lanchonetes. Em hipótese alguma você deve alimentar-se enquanto está guiando o carro. Dirigir com apenas uma das mãos é infração que pune o motorista com 4 pontos na carteira, além de uma multa de R$130,16 (vigente em 15/2/18).

Dicas de alimentos para levar na estrada

Um elemento primordial que deve compor qualquer lista de suprimentos e independe da quantidade de horas que você vai passar na estrada é a água. Nunca se sabe o que podemos encontrar pelo caminho — engarrafamentos, desvios. E manter a hidratação é fundamental!

Ademais, é interessante trazer a bordo:

Frutas

As frutas são excelentes opções para se levar em uma viagem. Além de representar uma opção mais barata em relação aos lanches comprados na estada, os benefícios que elas trazem à saúde são infinitamente superiores.

Outra vantagem de trazer consigo as frutas é que existe uma grande variedade para fazer as escolhas de sua preferência; sem contar que não haverá trabalho com preparo, apenas a higienização. Seu corpo ficará mais disposto ao ingerir frutas!

Sanduíches naturais

Os sanduíches feitos em casa também apresentam-se como ótima alternativa para reforçar as energias durante uma viagem. Utilizando os ingredientes adequados, eles resistem um tempo razoável fora da geladeira.

Assim, invista nas proteínas: carnes ou frango desfiado. Como complemento, podem-se usar vegetais, a exemplo de cenoura ralada, queijos curados ou de massa seca (parmesão, provolone), milho verde etc. Nessas horas, os molhos à base de maionese e patês não são bem-vindos, pois facilitam a contaminação por bactérias, e não queremos arrumar problemas na estrada por causa de comida, não é mesmo?

Salgadinhos

Os salgadinhos também são alimentos resistentes à falta de refrigeração e a prova disso é que, nos supermercados, os encontramos acondicionados em temperatura ambiente. Logo, sejam fritos ou assados, esta certamente é uma boa opção para sua viagem de 4 ou 5 horas. E, se preferir, você pode fazê-los em casa mesmo.

Bolos caseiros

O bolo é outra comida interessante de se levar para a estrada, primeiramente pela sua durabilidade — não é um item que estraga fácil ou depende de resfriamento especial.

E a facilidade para encontrar o produto também ajuda. Hoje, a maioria dos supermercados vendem bolos prontos e com preços bem acessíveis. Mas você pode recorrer às padarias, ou ainda prepará-lo na sua residência.

De toda sorte, é mais barato do que comprá-lo em alguma lanchonete pelo caminho.

Viagens de tempo médio e longo

Percursos de no mínimo 6 horas exigem uma paradinha para descansar, esticar as pernas e beliscar alguma coisa. Por isso, se a sua viagem for mais longa, é inevitável reservar uma quantia de dinheiro para as paradas em lojas de conveniência de postos de gasolina ou lanchonetes e restaurantes à beira da estrada.

O indicado é parar pelo menos a cada 3 horas e em lugares que transmitam confiança, pois comer onde você nunca esteve antes é delicado, principalmente, pelo fato de você estar na estrada e, muitas vezes, longe de qualquer atendimento médico.

Mesmo com a possibilidade de comer em algum ponto durante o trajeto, não deixe a bolsa térmica de lado. Ela manterá seus petiscos fresquinhos até a parada na lanchonete e, após a parada, você pode reabastecê-la com o que comprar lá.

Nessas ocasiões, além dos produtos citados para serem consumidos em menor tempo, é indicado trazer de casa alguns suprimentos como:

  • garrafa de café, para os apreciadores da bebida;
  • alimentos instantâneos;
  • comida congelada, caso pare em algum lugar em que você possa aquecê-la.

Cuidado com as crianças

Viagens com crianças merecem um planejamento especial, principalmente com relação à comida. Nesses casos, o ideal é sempre ter algo à mão para saciar as necessidades dos pequenos na hora exata. Frutas, bolachas e sucos são algumas opções entre as mais indicadas.

Caso a criança seja pequena e ainda dependa de mamadeira, o cuidado deve ser redobrado. Mantenha organizados alguns itens essenciais para o preparo, como a água mineral (ou fervida) em um recipiente adequado e o leite em pó, na medida necessária para o número de vezes que a criança for se alimentar.

Não esqueça que armazenar num recipiente apropriado é essencial para evitar bagunças e dificuldades na hora do preparo com o carro em movimento.

 

Escolhendo onde parar

Uma dica bem interessante em casos de parada é sobre onde e o que comer. Evite parar em lanchonetes sem movimento ou muito isoladas de centros urbanos.

Se não há muita gente ali, é um indício de que a qualidade dos produtos talvez não seja muito boa, a higienização da comida pode não ser 100% correta, e indigestões ou infecções alimentares durante a viagem não são bem-vindas.

Além disso, preste atenção aos locais que têm muito movimento e são famosos em excursões. Muitos deles costumam cobrar caro demais por alimentos que são comuns na estrada — salgados e sanduíches nessas lanchonetes chegam a custar até o dobro do que se pagaria dentro da cidade.

Economizando nas viagens internacionais

Também nos destinos internacionais, muitas pessoas procuram gastar pouco com comida e são várias as opções para cumprir com esse objetivo.

Comer na rua

Aos viajantes, o mercado informal de comidas é bastante interessante para economizar no quesito alimentação — mais do que comer gastando pouco, você ainda tem a oportunidade de experimentar a cultura local de cada país.

Quem nunca se deparou com os carrinhos de cachorro-quente, sanduíches ou espetinhos aqui no Brasil? Pois bem, somados à expansão dos famosos food trucks, atualmente já é possível encontrar alternativas elaboradas de refeição sem perder a economia.

Nos demais países, essa cultura também se faz muito presente e você não encontrará grandes dificuldades para comer na rua.

A dica preciosa é verificar a higiene do local. Procure se informar com outros turistas, funcionários de onde está hospedado e fazer uma boa pesquisa na internet, pois há lugares em que tal prática é desaconselhável.

Comer em mercados populares

Os mercados populares ou municipais estão presentes em toda parte do mundo, e neles, além da riqueza de cultura, você pode contar com a comida barata. Contudo, se você está em busca especialmente de preços mais baratos, em determinados casos é preciso atentar-se ao custo-benefício.

Isso porque há cidades em que os mercados se tornaram tão populares a ponto de serem vistos como atração turística, e, consequentemente, os comerciantes aproveitam para ganhar mais dinheiro. Logo, o custo das refeições se equipara aos restaurantes em geral.

É o que acontece, por exemplo, no Mercado del Puerto, localizado na cidade de Montevideo, no Uruguai, e igualmente no Mercado Central de Santiago, no Chile.

Cozinhar

Possibilidades para economizar na sua alimentação durante uma viagem internacional não faltam, e se você dispõe de uma casa ou apartamento que lhe permita cozinhar, vale a pena investir nessa alternativa por três motivos básicos:

  • o primeiro é conseguir manter uma dieta próxima a do seu dia a dia;
  • o segundo é a garantia de comer alimentos novos, preparados com os cuidados e higiene necessários;
  • o terceiro é a economia, pois comprar a comida pronta com certeza é mais caro, ainda que sejam os mesmos ingredientes.

Nesse contexto, ainda que você se hospede em alguma instalação de camping ou hostels, não descarte a ideia de fazer a sua comida. Você pode inclusive se juntar a outros hóspedes para cozinhar e dividir os custos —​ é uma forma de economizar, fazer amigos, enfim, desfrutar de uma experiência enriquecedora.

Comer na casa de pessoas

O fortalecimento da economia colaborativa abriu portas para inovação nos mais variados segmentos, e no setor da alimentação não foi diferente, tanto que, atualmente, pessoas comuns e chefes de cozinha têm fornecido refeições para viajantes em suas próprias casas.

O serviço é intermediado por sites e aplicativos, oferecendo preços bem mais atrativos que os restaurantes. Então, se você está planejando uma viagem ao exterior e pretende se alimentar bem gastando pouco, é interessante pesquisar sobre esse tipo de oferta. Confira:

  • Home Bistro;
  • Dinner;
  • Meal Sharing;
  • Eath With, dentre outros.

Procurar restaurantes com menu executivo

Esse tipo de refeição já vem predeterminada pelo restaurante, não há liberdade de escolha para montar o seu prato, o que o torna mais barato. O “menu do dia” geralmente é composto por comidas comuns, porém em quantidade satisfatória, tendo empresas que incluem as entradas e sobremesas no montante.

O ideal para gastar pouco na estrada é, portanto, fazer suas refeições em restaurantes e lanchonetes de médio porte, ou preparar em casa algum tipo de alimento que suporte a viagem. Procure consumir comidas mais leves, que não pesem e possam dar náuseas durante o trajeto. Lembrando sempre de armazená-los de maneira que garanta a conservação até a hora da parada.

Em resumo, o conselho do dia é: seja sua viagem curta, seja longa, a passeio ou negócios, sozinho ou com a família, sempre há alternativas de equilibrar a saúde e a economia!

Gostou do nosso post? As dicas foram úteis para economizar com as refeições na estrada? Então compartilhe a experiência com seus amigos nas redes sociais!

 

Posts Relacionados

Economize tempo e dinheiro alugando um carro em suas viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *