O guia prático de cuidados no trânsito para motoristas

Avalie

Cada dia aumenta o número de veículos nas ruas do país. Na cidade de São Paulo, há cerca de 7 milhões de automóveis, trafegando em 17 mil quilômetros de ruas e avenidas. Infelizmente, o número de acidentes também cresceu consideravelmente. É preciso destacar que o motorista brasileiro está deixando de lado uma série de cuidados no trânsito. Existem atitudes simples que podem ser tomadas para diminuir a quantidade e a gravidade dessas situações.

Pode-se dizer que um trânsito mais seguro depende exclusivamente da atitude dos que usam a rua: pedestres e motoristas. Muitas vezes, faltam algumas ações simples para que o tráfego flua com maior tranquilidade.

Você sabe quais são os principais cuidados que os motoristas precisam ter ao dirigir? Sabe a maneira certa de se comportar em uma blitz? E quanto a transportar crianças e animais em segurança? Conhece os aplicativos de trânsito? Tem dúvidas sobre algum desses assuntos?

Então, este conteúdo foi preparado exatamente para você. Escrevemos um guia prático de cuidados no trânsito para motoristas. Leia agora mesmo!

Como evitar acidentes no trânsito?

O primeiro assunto a ser abordado está diretamente relacionado com a segurança. É preciso tomar algumas precauções para garantir a segurança de todos.

É válido afirmar que os acidentes, por mais simples que sejam, podem representar gastos extras para os motoristas. Além de consertar os estragos, pode ser preciso alugar um carro para os dias em que o seu veículo estiver em manutenção. Sendo assim, veja, a seguir, algumas dicas para evitar essas situações.

Não use o celular

É preciso lembrar que as distrações são a principal causa de acidentes, e o celular está se tornando um grande vilão para os motoristas. As multas tentam inibir, mas ainda é grande o número dos que dirigem de olho na telinha, mandando mensagens de textos, gravando vídeos, áudios e muito mais.

Evite, deixe o telefone no modo silencioso e foque no trajeto!

Respeite as leis de trânsito

A negligência também é responsável por muitos acidentes. Ensinamentos primordiais, que aprendemos na autoescola muitas vezes são deixadas de lado. Paradas obrigatórias, preferência dos pedestres na faixa e, até mesmo, sinais vermelhos são ignorados diariamente.

Lembre-se: Seguir as leis de trânsito é fundamental para um clima mais harmonioso nas ruas. Além disso, motoristas que respeitam a legislação recebem menos multas e são beneficiados na renovação de seguro, por exemplo. Vale a pena andar na linha!

Esteja bem para dirigir

Dirigir faz parte da rotina das nossas vidas. No entanto, é preciso estar bem física e mentalmente para segurar o volante. A falta de concentração, por exemplo, pode fazer com que você não veja uma situação de risco ou esqueça de parar em um sinal.

Nunca é demais falar sobre a perigosa combinação de direção e consumo de bebidas alcoólicas, não é mesmo? Então: se beber, não dirija. A ingestão de qualquer quantidade é ser prejudicial para os seus sentidos.

Além disso, fique atento com reações a medicamentos. Alguns podem tirar a sua atenção ou deixá-lo confuso. Nesses casos, evite dirigir.

Redobre a atenção em climas adversos

O número de acidentes aumenta em dias chuvosos ou com neblina. Infelizmente, muitos motoristas acreditam que não há nada de mais em dirigir nesse tipo de situação.

Porém, um veículo demora o dobro da distância para frear completamente em uma pista molhada, sem levar em consideração o risco de aquaplanagem. Há, ainda, a diminuição da visibilidade na via, seja em chuvas intensas ou em meio a neblinas.

O recomendado é dirigir em baixa velocidade e, se possível, parar em um local seguro para esperar o clima melhorar. Lembre-se: a vida é o bem mais precioso que temos. Não vale o risco!

Mantenha uma distância segura

Ver motoristas colados na traseira do veículo da frente e forçando uma ultrapassagem é uma situação corriqueira nas estradas, mas não se engane: esse tipo de procedimento é extremamente perigoso. Qualquer movimento do veículo da frente pode ocasionar uma batida.

Uma freada repentina ou derrapagem podem fazer com que você se envolva em um acidente ou, na pior das hipóteses, agravar as consequências de um que já ia ocorrer.

A distância de segurança é essencial para que você consiga parar o seu veículo a tempo.

Respeite os limites de velocidade

Esse talvez seja o problema mais recorrente dos brasileiros. Trafegar acima da velocidade da via é uma prática enraizada e perigosa. O limite existe pelo simples fato de que aquele trecho foi projetado para que os veículos transitem naquela velocidade, é a velocidade adequada.

O limite é um quesito de segurança para os motoristas, e não uma restrição. A sua determinação leva em consideração as condições da via, o fluxo de veículos e as condições adversas que podem acontecer. Lembre-se: o principal motivo de limitar a velocidade é evitar acidentes e, principalmente, preservar vidas.

Realize manutenções periódicas

Por fim, mas não menos importante, realizar as manutenções periódicas também é fundamental para evitar acidentes. Elas serão responsáveis por garantir que o automóvel esteja em boas condições para trafegar e que não deixará o condutor na mão.

Quais aplicativos posso usar para ter uma rotina menos estressante no trânsito?

Com a chegada dos recursos tecnológicos, uma série de aplicativos foram lançados para simplificar a vida dos motoristas.

Independentemente de serem voltados diretamente para o trânsito, eles não devem ser utilizados pelo motorista ao dirigir. Mais uma vez: direção e celular na mão não combinam!

Waze

O Waze é um dos aplicativos de trânsito mais populares do mundo. Ele funciona de uma forma colaborativa, necessitando do compartilhamento de informações pelos usuários.

Além disso, ele é um GPS comum, indicando as rotas mais rápidas e informando, em tempo real, situações do trânsito, como obras, acidentes e congestionamentos.

MapLink

O aplicativo do MapLink fornece informações da situação do trânsito, além de monitorar as câmeras das cidades e rodovias. O aplicativo ainda não está disponível em todo o território nacional.

As cidades que têm acesso são: Barueri, Belo Horizonte, Campinas, Cuiabá, Curitiba, Diadema, Goiânia, Guarulhos, Osasco, Recife, Salvador, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, São Paulo e Vitória.

Fale trânsito

O Fale trânsito é um aplicativo que funciona de uma maneira diferente. Por meio da voz do usuário, é possível dar os comandos. Após selecionar a cidade em que você se encontra, é preciso falar trechos ou o nome inteiro da rua a que você deseja chegar. Assim, o caminho e as condições de tráfego são exibidos e respondidos em voz alta para você.

As informações são retiradas do site do DER, DETRAN e MapLink, sendo atualizadas constantemente.

Olho na Estrada

O último aplicativo que listamos é voltado para os motoristas que precisam trafegar em rodovias todos os dias. Ele utiliza imagens e a condição do trânsito em tempo real nos estados do Espírito Santo, Paraná e São Paulo.

Em rodovias mais conhecidas, como Anchieta, Anhanguera, Bandeirantes e Raposo Tavares, o usuário pode selecionar câmeras e favoritá-las. O app está disponível em sistemas Android e iOs.

Quais as principais multas de trânsito e como evitá-las?

Existem quatro categorias de multas de trânsito: leves, médias, graves e gravíssimas. As leves rendem apenas três pontos na CNH e, se o motorista não tiver cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores, pode ser convertida em advertência leve por escrito.

As infrações médias rendem quatro pontos na CNH e também podem ser convertidas em advertências. As graves, por sua vez, podem ocasionar algum tipo de perigo no trânsito. A pontuação para o infrator é de cinco pontos e não existe a conversão em advertência.

Finalizando, as infrações gravíssimas rendem sete pontos na carteira e, dependendo da situação, acarretam a suspensão do direito de dirigir, independentemente da pontuação do motorista.

É válido lembrar que o limite é de 20 pontos. Ao atingir essa pontuação, o motorista perde o direito de dirigir, devendo realizar o curso de reciclagem em uma autoescola, regularizando a CNH. Após finalizar o curso, o motorista tem que ser aprovado em um teste para poder recuperar a carteira de motorista.

Antes de mais nada, é interessante lembrar que a CNH digital já chegou ao Brasil. Ela está sendo implementada em alguns lugares, proporcionando mais praticidade e comodidade aos motoristas. Todavia, o sistema de pontuação e infração é o mesmo para qualquer tipo de carteira de motorista, seja digital ou impressa.

Usar o celular enquanto dirige

Como já destacamos, encontrar uma pessoa dirigindo e utilizando o celular não é difícil. A maioria abaixa os aparelhos ao passar perto dos guardas, em vez de utilizar um dispositivo handsfree (que deixa as mãos livres).

Na legislação, não há nada que proíba o uso desse tipo de aparelho. Ela cita apenas o manuseio do celular com as mãos. Sendo assim, não é proibido atender o celular por meio do bluetooth do carro, por exemplo.

Contudo, é necessário tomar cuidado. Dependendo do teor da conversa, é melhor encostar o veículo. Para dirigir, precisamos ter 100% da atenção voltado para o trânsito, evitando qualquer distração.

Excesso de velocidade

A velocidade é uma paixão dos brasileiros, até mesmo nas ruas, avenidas e rodovias no país. Ultrapassar a velocidade em até 20% do permitido gera uma infração média. Entre 20% e 50%, a infração é considerada grave. Já acima dos 50%, a infração é gravíssima.

Ressaltando: uma infração gravíssima por excesso de velocidade será passível de 7 pontos na carteira e da suspensão do direito de dirigir. Portanto, preste bastante atenção ao volante e tome cuidado. O valor da multa e a punição não são os aspectos mais importantes, mas sim a sua vida e a daqueles que compartilham o trânsito com você. Pense nisso!

Estacionar em local proibido

Outra multa destaque entre os motoristas brasileiros é o estacionamento em local proibido. Muitos pensam que parar o carro “rapidinho” não ocasionará nenhum problema, mas, na realidade, não é assim. Parar o veículo sobre a faixa de pedestres é uma infração grave, por exemplo.

Avançar o sinal vermelho

O avanço do sinal vermelho é uma infração grave. É válido informar que em áreas de risco (dependendo do horário) é permitido o avançar, mas será necessário entrar com recurso.

Não usar cinto de segurança

Infelizmente, algumas pessoas não têm o hábito de usar o cinto de segurança. As desculpas? Incomoda, está muito quente, vai sujar ou amarrotar a roupa, entre outras. Obviamente, nenhuma delas justifica o fato (e o risco!). Nesse caso, o motorista receberá uma multa considerada infração grave para cada pessoa que estiver no carro sem o cinto. O prejuízo pode ser imenso!

Licenciamento do veículo

Trafegar sem pagar todas as taxas também gera multa. Além dos sete pontos na carteira, por ser uma infração gravíssima, o motorista terá de arcar com o pagamento da multa e a apreensão do carro. Não vale a pena, não é mesmo?

O que nunca fazer no trânsito?

O trânsito diário pode apresentar situações inusitadas, principalmente em grandes centros urbanos. Há algumas atitudes dos motoristas que não podem ser realizadas de maneira alguma!

Muitas mulheres costumam aproveitar o tempo “perdido” no trânsito para se maquiar, por exemplo. Se o carro estiver parado em um semáforo, não há problema. Contudo, é fácil pegá-las passando um batom com o carro em movimento.

Como o tempo é um recurso cada vez mais escasso e as pessoas sentem que não podem perder nem um segundo do seu dia, não é difícil encontrar motoristas se alimentando e dirigindo ao mesmo tempo. Seja um biscoitinho, uma barra de cereal ou um sanduíche: essa prática pode causar um acidente e uma grande bagunça.

Outra situação bizarra que podemos encontrar no trânsito também está relacionada com o tempo das pessoas. É possível ver pessoas trocando de roupa com o carro em movimento, em vez de esperar chegar ao local desejado. Assim como todas as outras práticas, o risco de acidente é grande.

Além das situações que citamos, existem outras que em nenhuma hipótese devem ser realizadas no trânsito. Sabemos, por exemplo, que algumas pessoas têm o costume de pilotar as suas motos sem capacete e outras já tiveram relações sexuais com o veículo em movimento, não apresentando o menor cuidado no trânsito.

Como me comportar em uma blitz?

Muitos motoristas ficam nervosos ao se deparar com uma blitz, mesmo estando em dia com todas as obrigações. Existem algumas práticas que podem evitar transtornos e deixar o condutor mais tranquilo.

Primeiramente, é preciso conhecer os direitos e a legislação. Assim, você saberá até que ponto o policial poderá ter ação e quais são as ações abusivas.

Tendo conhecimento dessas informações, siga um passo a passo para que os agentes não suspeitem de suas intenções.

Ao avistar a blitz, diminua a velocidade. Aumentá-la ou tentar desviar certamente chamará a atenção. Se você for escolhido para parar, obedeça prontamente. Quando o policial se aproximar, evite movimentos bruscos e deixe as mãos em um local visível.

Obviamente, é preciso ser respeitoso e evitar discussões. Apresente o que for solicitado e aguarde a liberação do policial. Se os documentos seus e do veículo estiverem em dia, o processo será rápido.

Sendo assim, é fundamental que você mantenha a calma e controle os seus movimentos. Dessa forma, tudo sairá como o previsto, sem nenhum tipo de problema.

Quais cuidados devo ter com crianças no banco de trás?

A combinação entre crianças e acidentes de carro representa uma triste estatística para o Brasil. Eles são a maior causa de morte de jovens entre zero e 14 anos. A única notícia boa é que a maioria dessas tragédias pode ser evitada, bastando tomar os cuidados necessários no transporte.

O CTB (Código de Trânsito Brasileiro) exige que crianças menores de 10 anos andem no banco de trás dos veículos. Além disso, as que têm até sete anos e meio devem ser transportadas em assentos especiais.

As cadeiras devem ser utilizadas pelo simples fato de o cinto de segurança não conseguir proteger as crianças. Eles foram projetados para adultos que tenham, no mínimo, 1,45 m. Porém, muitas vezes, as cadeiras são utilizadas de forma errônea.

Elas precisam ser certificadas pelo Inmetro e apropriadas para o peso e tamanho da criança. Além disso, a cadeirinha deve se adaptar ao veículo e ser instalada corretamente, e os pequenos devem ser posicionados da maneira certa.

Siga as recomendações listadas e garanta a segurança do seu filho:

  • Trave a abertura das portas traseiras (impedindo elas sejam abertas por dentro);
  • Mantenha os vidros altos, deixando apenas uma pequena abertura para ventilação;
  • Não transporte crianças no colo;
  • Em hipótese alguma coloque crianças no porta-malas ou caçamba;
  • Nunca coloque duas ou mais crianças em um mesmo cinto de segurança;
  • Não utilize o cinto de adultos em crianças.

Animais no carro: como levá-los em segurança?

Animais também precisam de atenção ao serem transportados em veículos. Em algumas famílias, eles são considerados e tratados como membros muito importantes.

Não é raro ver cachorrinhos com a cabecinha para fora do carro. É sabido que eles adoram o ventinho no rosto, mas essa prática é extremamente perigosa.

O CTB estabeleceu algumas infrações médias e graves para os motoristas, com o intuito de proteger os animais de possíveis acidentes. Além disso, os condutores estão proibidos de dirigir com os cães ou outros animais sentados à esquerda, no colo ou em qualquer parte externa do automóvel.

É preciso proteger o pet, ou seja, não se pode transitar sem a devida proteção, principalmente se o motorista estiver dirigindo sozinho. Para isso, use caixas de transporte, cinto de segurança ou cadeiras apropriadas.

Alguns pet shops têm os equipamentos ideais para o transporte do animal. Entretanto, se houver alguém no banco do carona, o animal poderá ser levado no colo, sem nenhum tipo de problema.

É preciso atentar para os riscos de transportar o animal solto, além das multas que podem ser aplicadas. É válido ressaltar que o motorista pode ficar preocupado com o bichinho e não prestar a atenção necessária ao trânsito.

Medidas de segurança para o transporte de animais:

  • Animais de pequeno porte podem utilizar um cinto peitoral, adaptável para ser preso junto ao cinto de três pontas;
  • Animais grandes podem ser transportados na carroceria do carro, desde que estejam devidamente alojados em uma caixa compatível com o seu porte físico. Jamais prenda o animal utilizando cordas, pois elas podem provocar o seu enforcamento;
  • No caso do transporte de gatos, opte pelo uso da caixa de transporte. Dessa forma, eles se sentirão mais tranquilos, seguros e protegidos e terão um menor risco de se ferir.

Cuidados no trânsito são fundamentais para que tenhamos um ambiente mais sossegado. Sabemos que passar horas e horas em engarrafamentos é algo estressante, porém é preciso manter a calma. Essa é a única maneira de garantir que você tenha condições de tomar as decisões corretas quando estiver ao volante.

Lembre-se: concentração e dedicação são fundamentais para você se tornar um bom motorista. Por mais que você seja uma pessoa multifuncional em seu dia a dia, a direção deve ser uma atividade única. Realizá-la em consonância com outras atividades pode ser prejudicial para você e outras pessoas. Pense nisso!

E aí, gostou do nosso guia prático de cuidados no trânsito para motoristas? Então, veja o nosso Guia descomplicado para aluguel de carros e se surpreenda!

Posts Relacionados

Economize tempo e dinheiro alugando um carro em suas viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *